Mozilla volta atrás na decisão de banir Flash no Firefox

firefox

Um dia depois de anunciar que o Flash não seria mais ativado por padrão no Firefox, a Mozilla anunciou que o navegador voltou permitir o software da Adobe.

Na noite da segunda-feira (13), Mark Schmidt, diretor da equipe de suporte do Firefox, havia anunciado que o Flash seria bloqueado nas próximas versões do browser por não ser seguro para os usuários, que deveriam ativar o software nas configurações do Firefox caso quisessem usar o plug-in.

Schmidt esclareceu que o Flash poderia voltar a ser ativado no Firefox, desde que a Adobe lançasse uma nova versão sem tantas vulnerabilidades. E parece que a nova correção para o plug-in, lançada nesta terça-feira (14) foi suficiente para convencer os desenvolvedores da Mozilla que o software é seguro novamente.

Em um comunicado, Chad Weiner, diretor de produto da Mozilla, afirmou que a Adobe solucionou as vulnerabilidades do Flash e que a última atualização do programa será ativada no Firefox por padrão. “Continuaremos trabalhando com desenvolvedores de modo a encorajar a adoção de tecnologias mais seguras e estáveis, como HTML5 e o Javascript, e esperamos poder ajudar na condução dessa conversa”, afirma Weiner.

Na semana passada, o vazamento de arquivos do grupo de spyware Hacking Team revelou graves vulnerabilidades no programa da Adobe, colocando parte da indústria de tecnologia contra o Flash. Alex Stamos, diretor de segurança do Facebook, chegou a pedir que a Adobe estabeleça uma data para que o software seja encerrado.

Leia na íntegra o comunicado da Mozilla:

A Mozilla informa que o Adobe solucionou rapidamente as vulnerabilidades do Flash e que a última atualização do programa será ativada no Firefox por padrão. Na última segunda-feira, 13 de julho, seguindo orientação do Adobe em relação a duas vulnerabilidades críticas (CVE-2015-5122 e CVE-2015-5123) em Adobe Flash Player 18.0.0.204 e versões mais antigas do Windows, Macintosh e Linux (https://blogs.adobe.com/psirt/?p=1235), o Flash foi desabilitado no Firefox para proteger nossos usuários de exploits ativos que distribuíam vírus. Continuaremos trabalhando com desenvolvedores de modo a encorajar a adoção de tecnologias mais seguras e estáveis, como HTML5 e o Javascript, e esperamos poder ajudar na condução dessa conversa.

Chad Weiner, diretor de produto Firefox na Mozilla

Fonte: Info – Gabriel Garcia